O jornal The History of the Miami Times

Miami Times Newspaper
The original Miami Times building is currently being renovated

Por: Fabiola Fleuranvil

Uma história do jornal Miami Times e sua importância para a comunidade negra.

Um telhado de cobre e uma grande caixa-forte revestida de concreto sem um único bloco de concreto reunindo a estrutura. O Sr. Garth C. Reeves, Jr. demonstra seu orgulho ao detalhar o projeto do aclamado prédio do Miami Times em Liberty City, vencedor de prêmios internacionais pelo seu design. “Esse foi o primeiro prédio construído dessa maneira naquela época, e o mais caro da região”, conta o Sr. Reeves. "É o prédio mais resistente nesta cidade e onde me abriguei durante nossos furações.”

O famoso prédio do Miami Times foi fechado nos últimos anos e está sendo reformado para abrigar novamente o jornal em um futuro próximo. “Esse prédio nunca deixará a família. Já foi premiado e será preservado para sempre”, diz o Sr. Reeves.

Nascido da necessidade urgente de ser uma voz para a comunidade negra de Miami em uma época de extremo racismo, o jornal Miami Times foi inaugurado em 1923 por Henry E. S. Reeves, cujo nome se tornaria, por fim, sinônimo da representação, defesa e luta pelos direitos, liberdades civis e interesses da comunidade negra do Sul da Flórida. Devido à segregação daquele período, qualquer notícia sobre a comunidade negra em qualquer outro jornal local era minúscula e insignificante, nunca uma matéria aprofundada. Assim, o velho Reeves abriu o maior e mais antigo jornal da comunidade negra de Miami para denunciar e garantir que as pessoas não fossem discriminadas e sofressem abusos. Quase um século depois, o jornal continua circulando hoje com muitos dos mesmos princípios.

O velho Reeves passou adiante o dia-a-dia do jornal ao seu filho Garth após este se formar pela Florida A&M University em 1940 e, uma ano depois, ser chamado para servir na II Guerra Mundial.

"Nossas maiores matérias naqueles dias eram sobre o número de linchamentos ocorrendo no país. Imagine isso sendo sua manchete”, conta Reeves, ao relembrar seus primeiros anos à frente do jornal. “Nós [irritamos] muitas pessoas, mas continuamos lutando."

Da dessegregação das belas praias e campos de golfe luxuosos de Miami até o apoio à luta pelos direitos civis ao lado da Reverend Theodore Gibson of Christ Episcopal Church em Coconut Grove e a participação na diretoria da NAACP local na época, o Miami Times sempre esteve à frente da cobertura dos problemas mais prementes da comunidade negra.

O Sr. Reeves ainda lembra de caminhar para um campo de golfe local em uma quarta-feira ao lado do reverendo Gibson sabendo que o campo abria para negros somente uma vez por semana às segundas-feiras e sendo proibido de entrar e ouvindo para retornar na segunda, quando estivesse aberto para eles. Sua resposta - "proíba nossa entrada oficialmente para que possamos processá-los”, e foi isso exatamente o que fizeram no dia seguinte. O processo levou sete anos e a ajuda de Thurgood Marshall, mas a sentença finalmente integrou o campo de golfe, o que os incentivou logo depois a lutar pela integração das praias.

O jornal também sobreviveria a várias realocações do seu ponto inicial na NW 8th Street com a 3rd Avenue, nos limites de Overtown e do centro da cidade: desde o Lowry Building na NW 5th Street com a 2nd Avenue, alugando salas comerciais da D.A. Dorsey na NW 11th Terrace com a 3rd Ave, até ser desalojado quando a I-95 foi construída em Overtown e expulsou os moradores, forçando-os a migrarem para Liberty City, ao norte. Isso levaria o jornal à sua sede permanente em Liberty City, originalmente ocupada pela General Capital.

Atualmente, o jornal é administrado por Garth Reeves, Jr., o bisneto do fundador. “Tantas gerações cresceram com o Miami Times”, diz Reeves, Jr., “e sempre teremos um lugar nessa comunidade, pois continuamos a falar em nome da comunidade negra.”

Manter contato: inscrever-se para o Miami Insider Enews para receber notícias, eventos e ofertas especiais.

Compartilhe o amor: Adoramos ver suas fotos! Compartilhe-os conosco no Facebook , Twitter ou Instagram e não se esqueça de usar a hashtag: #FoundInMiami.

Portions of this page translated by Google.